TRAVA-QUEDAS RETRÁTIL - Dicas importantes

O trabalho em alturas exige muitos cuidados. Além dos procedimentos também os equipamentos de segurança adequados e seu uso correto são importantes.
A começar pelo cinto de segurança que deve obedecer a características de uso nas situações de risco de queda e nas situações de posicionamento de trabalho ou limitação de movimentos. 

O cinto sozinho em si não oferece a proteção desejada, ele necessita de um elo para a sua conexão a um ponto de ancoragem seguro e que deve ter as mesmas características de proteção e segurança como preconizam as NR6 e NR18.

E um dos elos para uma conexão segura é o equipamento denominado trava-quedas retrátil, que além da segurança numa eventual queda oferece ao trabalhador melhor movimentação, principalmente vertical, e liberação de ambas as mãos para trabalhar uma vez posicionado adequadamente.

É um equipamento versátil, portanto de grande utilidade em diversos setores industriais e de serviço nas atividades em estruturas de telecomunicações e de energia elétrica, tanques, telhados, embarcações, áreas de carregamento de caminhões, construção civil, escadas de marinheiro, etc..

Ele pode ser de cabo de aço ou de fita sintética. Seu funcionamento é baseado num sistema de frenagem por força centrípeta, instalado dentro de um invólucro protegido, e que atua em forma de arraste por pequena extensão, seguido de travamento imediato a partir de determinada velocidade que venha ser exercida no momento de uma eventual queda ou de um movimento mais brusco.

Sua conexão deve ser em ponto de ancoragem adequado e a outra ponta livre do cabo ou fita conectado diretamente no elo dorsal do cinto de segurança pára-quedista.

Apresenta diversos tamanhos, com extensões de 1,50 até 33 m, podendo, entretanto em casos especiais apresentar maior extensão. O diâmetro do cabo de aço situa-se na faixa de 4,8 a 5 mm e o da fita a largura pode variar de 20 mm tubular a 45 mm, dependendo do tipo e do tamanho.

O uso e conservação do equipamento são importantes de modo que se resguarde a sua segurança.

Principais cuidados na sua utilização:
- Evitar ângulo pendular entre o usuário e o ponto de ancoragem;
- Evitar atrito do cabo ou da fita com alguma superfície na trajetória entre a ancoragem e o usuário;
- Não liberar o cabo ou fita retrátil sem controle de velocidade ao devolvê-los ao invólucro;
- Não deixar o cabo ou a fita estendido quando não estiverem em uso pelo trabalhador;
- Nunca usar o trava-quedas retrátil como extensão aplicado na extremidade de talabartes;
- Recomenda-se proteção contra intempéries e ambientes químicos agressivos;
- Realizar inspeção pelo menos a cada 6 meses e re-certificados anualmente.
- Em relação aos de cabo de aço não se deve engraxar ou olear o cabo de aço, pois este procedimento irá causar dano ao equipamento.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...